Avançar para o conteúdo principal

Mensagens populares deste blogue

Tuna Feminina do O.U.P. 1988

Entrevista a uma das fundadoras da TunaF, Margarida Paula Salgado - a quem agradeço a simpatia e colaboração  - que nos deixa as seguintes memórias sobre a génese da Tuna Feminina do Orfeão Universitário do Porto.






1) Como foi, então, à época, o processo de fundação da Tuna Feminina do Orfeão Universitário do Porto?


MPS -A Tuna Feminina (TunaF) não foi formada como tal, ou seja como tuna. Foi antes uma brincadeira cujas consequências foram, de todo, imprevisíveis.

A inclusão de uma tuna nos espetáculos do OUP foi um desejo da Direção de 1984/85. À época não havia tuna no OUP; apenas havia tuna na AAOUP (Associação dos Antigos Orfeonistas da UP).

Deste modo começou-se a ensaiar alguns temas com o antigo orfeonista entretanto falecido, Lauro Paupério. Era uma tuna que se apresentava de modo “tradicional” (1ª fila sentada, 2ª fila de pé…) e nela se incluíam orfeonistas que tocassem ou “arranhassem” qualquer instrumento, fossem rapazes ou raparigas. Não teve um percurso muito consistente e …

"Capas Negras" [1947] e a Tuna no Porto.

O Dr. Eduardo Coelho deixa-nos esta interessantíssima reflexão e não menos pertinente análise ao filme "Capas Negras", análise esta que vai mais além na dissecação do conteúdo, contexto histórico e geográfico do mesmo, numa época onde a 7ª Arte em Portugal era particularmente dirigida para a propaganda simples e ao mesmo tempo franca das virtudes nacionalistas, com as tradições culturais bem vincadas nessa cinematografia que nos legou títulos como "O Pai Tirano", "Costa do Castelo", "Cantiga da Rua" e  "Pátio das Cantigas"  - somente para citar alguns.
A iconografia associada ao Estudante não poderia faltar, naturalmente, nesse contexto tão intrinsecamente português quanto genialmente manipulador de massas, tão em voga então nas ditaduras europeias do pós 2ª Guerra Mundial e mesmo anteriormente a este período - recorde-se Franco e o S.E.U. p.ex. - que pretendiam elevar as ditas virtudes e traços genéticos culturais como forma de afirmaç…

I FITU Cidade do Porto - 1987

Deixo um depoimento deveras interessante sobre o embrião do que foi o I Festival Internacional de Tunas Cidade do Porto. Quem no-lo conta é o proponente da ideia, António José Vasconcelos:


“Numa reunião preparatória das Comemorações dos 75 anos do OUP, algures no final do terceiro trimestre de 1986, ao propor-se um programa de actividades para os 75 anos, foi proposto pela Direcção a realização da [I] Bienal [de Canto Coral do Porto] e de uma exposição, mas achou-se que seria pouco…”

A Tuna Universitária do Porto (tal como a conhecemos hoje) estava a dar os primeiros passos: “eu propus, um pouco a medo digamos, a realização de um Festival Internacional de Tunas Universitárias, já com o nome de “Cidade do Porto” [o comum em Espanha era os festivais terem como subtítulo o nome da localidade de acolhimento], (…) eu vivia em Fafe, e lá via melhor a TVE do que a RTP (coisas do passado recente ) e levantava-me sempre cedo aos Sábados de manhã para ver o Concurso de Tunas do “Gente Jove…